Premiados da Mostra Competitiva Nacional do

16° Festival Brasileiro de Cinema Universitário

Destaque em Construção Narrativa

Por perceber o espaço representado como elemento potencial de suas relações e por conseguir, dentro da tradição narrativa, estabelecer progressão e articulação dramática, premiamos o filme “Contagem”, de Gabriel Martins e Maurílio Martins como Destaque em Construção Narrativa.

Destaque em Contribuição Artística

“Princesa”, de Rafaela Diógenes, é simples e seria simplista, não fosse sua sensível abordagem da narrativa, um claro pensamento de imagens e a qualidade de sua atriz, conseguindo desdobrar a obviedade do tema e revelar sua singularidade. O júri premia o filme como Destaque em Contribuição Artística.

Destaque em Contribuição Técnica

O uso da película em filmes acadêmicos costuma resultar em falso compromisso com um certo padrão de qualidade, deixando de lado interesse na pesquisa e na linguagem. “Caos”, de Fábio Baldo, se esquiva desse receio de experimentação com proposta e maturidade. Pela força de suas imagens, premiamos o filme como Destaque em Contribuição Técnica.

Destaque em Expressão Cultural

“Vuvuzelas de Madureira”, de Vitor Medeiros constrói, de forma sutil e reflexiva, olhar desapegado e atento a um forte movimento cultural dentro de sua própria casa: o primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo de 2010. A clareza no assunto e o trabalho de montagem motivou o júri a premiá-lo por Destaque em Expressão Cultural.

Destaque em Expressão Poética

A aproximação com a performance e a constante ressignificação de seu plano-sequência dá a “Fui à Guerra e não te Chamei”, de Leonardo Mouramateus, Roseane Morais e Luana Lacerda, um interesse especial por expandir as discussões da imagem do cinema e do corpo na arte. Por sua proposta ousada e por levá-la ao fim, o júri o premia como Destaque em Expressão Poética

Destaque em Pesquisa de Linguagem

As imagens partem do abstrato para o figurativo, enquanto o som faz o caminho oposto. Pela reflexão formal, o uso potencial de recursos mínimos, em um trajeto ao largo de convenções, premiamos “Vó Maria”, de Tomás von der Osten, para Destaque em Pesquisa de Linguagem

Destaque em Retrato da Realidade Nacional

“Rotina Matinal”, de Daniel Donato  e “Decisão Real”, de André Senna.

Menção Honrosa

Pela simplicidade, qualidade e concisão na realização de sua proposta narrativa e formal, decidimos dar [Menção Honrosa] para “Monique ao Sol“, de Wellington Sari.

Premiação do Projeto Sal Grosso

Acreditamos que um Festival Universitário deva valorizar projetos radicais, ousados e contundentes. Por isso, entre tantos projetos interessantes e possíveis, escolhemos aquele que constrói um narrativa potente e aposta em temas e personagens complexos e viscerais.

O Projeto Sal Grosso 2001 vai para o roteiro “Nós Parecíamos Gigantes”, de Daila Pacheco, da Universidade Anhembi Morumbi.

Funções Técnicas Projeto Sal Grosso

  • A ECA/USP fará a fotografia;
  • A FAP fará o som e edição de som;
  • A UNISINOS fará a direção de arte;
  • A FAAP fará a edição.

Prêmio Voto de Público

 “Cores e Botas”, de Juliana Vicente.

Prêmio ABDeC-RJ

Prezando pelo minimalismo dos gestos, o filme parte de um argumento simples, que se extende ao sabor do encontro e da espera.

Filme

“Monique ao Sol”, de Wellington Sari.

Jurados: Ana Alice de Moraes, Camilla Leal, Diego Bion.

————————————–

Prêmio Cachaça Cinema Clube

————————————–

Melhor Filme de Animação

“Princesa”, de Rafaela Diógenes.

Melhor Filme Engajado

“A Greve”, de Mauricio Ramos Marques.

Melhor Filme de Mina

“A Decisão Real”, de André Senna.

Prêmio Porta Curtas

“Cores e Botas”, de Juliana Vicente e “Contagem”, de Gabriel Martins e Maurilio Martins.