O segundo entrevistado é o músico e advogado Andre Wlodarczyk, que é especialista em direito autoral e do entretenimento, fundador do Fórum Nacional de Música e da SITUAÇÃO – Associação para Valorização da Cultural Regional Sul-brasileira, delegado paranaense nas Câmaras Setorias de Música (MINC) e ex-coordenador do Fórum Permanente de Música do Paraná. No segundo turno, Andre pretende votar em Gustavo Fruet; sendo que no primeiro turno votou em Alzimara Bacellar do PPL, por ter sido a única a ter como proposta a destinação de 2% do orçamento municipal para a cultura e a criação de uma secretaria municipal.

1. O que representa a ida dos candidatos Ratinho Jr (PSC) e Gustavo Fruet (PDT) para o segundo turno, bem como o terceiro lugar amargado pelo atual prefeito Luciano Ducci (PSB)?

Representa que o Ducci é muito fraco e que sobrenomes ainda são importantes pro curitibano médio.

2. No presente ano tivemos duas grandes polêmicas no âmbito cultural: (i) uma possível ausência de verba no Mecenato de Curitiba; (ii) a privatização da Pedreira Paulo Leminski, do Teatro Ópera de Arame e do Clube Náutico. Em relação a esses dois eventos, podemos esperar alguma mudança ou resgate por parte dos candidatos que estão no 2º turno?

Não, o que espero são mudanças nas políticas para cidade, sem editais e mais editais. Não acredito que nenhum dos dois mude isso, ao menos que o PT assuma de vez a cultura na cidade e passe a implementar o PNC – Plano Nacional de Cultural.

3. Que mudanças podem ser esperadas da próxima gestão no que se refere ao trato das políticas culturais caso o candidato Ratinho Jr for eleito?

Acho que não teremos mudanças profundas nas políticas, mas apenas nos beneficiários, vez que a FCC consolida os mesmos grupos há décadas, benificiando-os com mais facilidade, pois são pessoas que influenciam nas decisões políticas da FCC, as quais agora vão ficar um pouco escanteadas.

4. Que mudanças podem ser esperadas da próxima gestão no que se refere ao trato das políticas culturais caso o candidato Gustavo Fruet for eleito?

Depende. Se o PT comandar as políticas as coisas podem mudar. Se ele manter boa parte do corpo da FCC intacto as coisas apenas continuarão como estão.

5. O resultado do primeiro turno (07/10/2012) nessa eleição para prefeito em Curitiba pode ser tido como uma mudança significativa para a cidade ou entendida como o fim do lernismo e do “mito da cidade modelo”, ou mesmo o fim da política de artistas oficiais afeitos a representação institucional da cidade – cultura de evento e de cartão postal?

Menos, pode ser um primeiro passo. A coisa está muito sedimentada, é preciso mudar completamente a lei de incentivo, adequa-la ao PNC – Plano Nacional de Cultura e ao SNC – Sistema Nacional de Cultura. Temos 30 milhões/ano que vão para os grupos ligados ao ICAC, Belas, FAP, etc. Vão tirar dos grupos acadêmicos para fazer justiça social e criar Pontos de Cultura? Ou vão melhorar o orçamento da cultura e incluir nas políticas todos os fazedores de cultura?

Info: Proposta | Dennison de Oliveira