FAPFAPFAP

Jonathan Campos/Gazeta do Povo

Entidades culturais organizam a partir de hoje mais ações contra a fusão das secretarias estaduais da Cultura (Seec) e do Turismo (Setu). A medida foi anunciada no fim de setembro pelo governador Beto Richa, junto com o corte de mil cargos comissionados e outras três secretarias. O Projeto de Lei 428/2013, que extingue as duas pastas e propõe a criação da Secretaria de Estado da Cultura e do Turismo, está em análise em comissões da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Hoje, a partir das 18h30, O Fórum das Entidades Culturais de Curitiba (FEC) realiza assembleia no miniauditório do Teatro Guaíra para discutir a junção das secretarias, entre outros assuntos. Na semana passada, a entidade encaminhou uma carta de repúdio à Alep, aos senadores e deputados federais e estaduais do Paraná. Para a FEC, não se deve enxugar gastos com a cultura, uma vez que “as verbas destinadas à pasta já estão exíguas há muitos anos”, diz a carta.

“É algo que não faz sentido [juntar as pastas de Cultura e Turismo]. É juntar dois endividados e achar que vão pagar alguma coisa. As duas secretarias estão quebradas, não é por aí que vai se conseguir melhorar os procedimentos do estado. É de se lamentar que a política sempre sacrifica em primeiro lugar a cultura, porque, aparentemente, não vende votos. E essa é a única linguagem que reina na política.”

Paulo Biscaia Filho, cineasta e dramaturgo.

Na quinta-feira, a campanha #contrafusão, que na semana passada entregou um abaixo-assinado aos parlamentares (que já alcançou mil assinaturas) e realizou uma série de reuniões com deputados para debater o tema, faz um ato na Praça Santos Dummont, em frente ao prédio da Seec. “A economia com a fusão é mínima, 10 cargos comissionados, que parcialmente foram preenchidos. Ou seja, quase nada”, frisa um dos organizadores da #contrafusão, Frederico Neto.

A classe artística da cidade também vem se manifestando nas redes sociais, com argumentos de que a ação é um retrocesso. “Até os anos 1980, a secretaria era de Cultura e Esporte, e houve a divisão. Agora, estão dizendo que cultura e turismo têm muita proximidade. Óbvio, a cultura envolve tudo, o que somos, nossa identidade. Você pode arranjar uma desculpa para fazer a fusão com qualquer outra secretaria”, critica o cineasta e dramaturgo Paulo Biscaia Filho.

FAP

Amanhã, alunos da Faculdade de Artes do Paraná (FAP) farão atos durante todo o dia para chamar a atenção para a infraestrutura da faculdade. Eles pedem a construção de um restaurante universitário, assistência estudantil e, principalmente, contratação de professores e abertura de concursos públicos. Marcela Goellner, integrante do Centro Acadêmico do Bacharelado em Artes Cênicas da FAP, conta que há vários professores temporários com contratos para acabar e docentes sobrecarregados, o que dificulta a dedicação à pesquisa. Além disso, muitos alunos dos últimos anos não estariam conseguindo orientadores para os trabalhos finais.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?tl=1&id=1418723&tit=Semana-comeca-com-novos-atos-contra-fusao-de-secretarias

EVENTO NO FB: https://www.facebook.com/events/209028592611874/