O tema não me é estranho, pois ajudei em duas campanhas no catarse.me em 2012 – Dorsal Atlântica e Fronteiras da Latinidade. Além de ter feito uma campanha própria em 2013, para finalizar o meu filme Dorsal.doc, que está em vias de conclusão. Em 2014, desenvolvo uma pesquisa de mestrado sobre financiamento colaborativo para cinema. Aproveitando a proximidade desses temas, além da conveniência, resolvi fazer um Take 5 com 5 artistas que estão tendo experiência com o financiamento colaborativo ou melhor, o crowdfunding.

A primeira convidada é  Sirlanney Nogueira, criadora da Magra de Ruim. Sirlanney é uma artista dos quadrinhos, das telas e de qualquer superfície disponível para se expressar, a partir de um traço muito pessoal. Atualmente está com uma campanha no catarse.me para viabilizar a publicação impressa de uma antologia com os seus trabalhos.

sirlanney-catarse

imagem retirada de catarse.me/pt/magraderuim

1. Fale da sua trajetória na internet e de como o financiamento colaborativo – crowdfunding – pintou no seu caminho.

Sempre publiquei minhas coisas na internet. Quadrinhos faz uns 4 anos. Desde 2012, quando eu vi um projeto muito parecido (ryotiras) decidi que queria fazer o mesmo. Então foi questão de trabalhar pacientemente até ter material suficiente e algum público significativo.

2. Você já ganhou algum prêmio, edital ou mesmo captou algum dinheiro na lei de incentivo, já recebeu algum patrocínio? Como você manteve a sua atividade até agora?

Essa pergunta me dá vontade de rir. Não, nunca recebi nada, a não ser PAItrocínio. Veja bem, tem muita gente que tem condições de passar a vida acadêmica sem precisar trabalhar, mas muitos não fazem algo significativo com isso.. Eu decidi que queria fazer. Por algum tempo eu também precisei trabalhar para pagar meu aluguel, então eu desenhava de madrugada e era uma péssima funcionária, na faculdade fui super mal, mas foi o período de maior crescimento no meu trabalho.

3. Quais as estratégias e táticas feitas, ou que se pretende fazer, para divulgar a sua campanha e motivar mais contribuições? Existe alguma possibilidade de interação ou interferência do público na sua criação?

O foco principal da campanha de crowdfunding, na minha opinião, são as recompensas. Então coloquei recompensas a preços um pouco mais elevados de pinturas e de desenhar histórias personalizadas, para o comprador ser um tipo de mecenas. Outra estrategia importante é a divulgação por meio de pessoas influentes e sites. Estou tentando falar com amigos que tem boas redes e tentando descolar entrevista naquele site x ou y, acho que isso é importante.

4. Quais são as maiores dificuldades enfrentadas até agora na campanha ou, posteriormente, na feitura do seu projeto?

A maior dificuldade que tenho encontrado é tempo para me dedicar completamente. Todo tempo que você empregue nunca é suficiente. Porque você pode fazer mil coisas pro seu projeto arrebentar: mandar email, responder entrevista, falar com amigos, pensar em novas recompensas, fazer festas, etc etc. Mas tudo que se faça nessa vida precisa de tempo. No meio de uma campanha, você nunca encontra tempo que dê para explorar ao máximo as possibilidades!

5. Você pretende futuramente fazer uma nova campanha de financiamento coletivo? O crowdfunding é viável? E viável até que ponto para você?

Sim! Claro que sim! Crowdfunding é apenas uma forma de vender seu trabalho como outra qualquer, só que nova e como tudo que é novo, ainda causa estranhamento. Mas ela é perfeita, porque você recebe a grana que precisa, de quem está disposto a apostar na tua idéia e então você executa! Sem ter que mendigar ao governo, sem se preocupar com carta marcada. É um sistema novo e não viciado. Requer muito trabalho, claro, mas trabalho é requerido em quase todas as coisas boas da vida. Nas próximas eu pretendo pegar o aprendizado que consegui nessa e fazer melhor!

Sirlanney em seu processo criativo

Sirlanney dando vida a Magra de Ruim

Take 5: Rafucko | Vincent Carelli |  Take 5 anteriores

Conexões: sirlanney.tumblr.com | catarse.me/pt/magraderuim | Quadrinhos Insones | Entrevista na Revista TPM | Magra de Ruim no Malaguetas

3 thoughts on “TAKE 5: financiamento colaborativo (crowdfunding) – Sirlanney Nogueira

  1. Pingback: TAKE 5: financiamento collaborative (crowdfunding) – Rafucko | produtor.org

  2. Pingback: TAKE 5: financiamento colaborativo (crowdfunding) – Rafucko | produtor.org

  3. Pingback: TAKE 5: financiamento colaborativo (crowdfunding) – Vincent Carelli | produtor.org