SECULT: IX Edital Ceará de Cinema e Vídeo 2011

A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará informa que as informações necessárias ou mudanças ocorridas ao longo do processo do IX Edital Ceará de Cinema e Vídeo, foram divulgadas no site da Secult, no espaço reservado aos editais. O Edital, de fato, teria sido modificado uma única vez, não comprometendo o resultado final da seleção.  A análise e elaboração, foram realizadas juntamente com o Fórum do Audiovisual, no sentido de ampliar a participação popular nos processo de avaliação. Durante a reunião, chegou-se a um consenso, de que era importante, considerar a etapa do Pitching sem caráter eliminatório.

Foi estabelecido também na reunião com o Fórum do Audiovisual, que a Comissão Julgadora, seria selecionada de acordo com a competência técnica, por meio de avaliação de curriculum do banco de dados do Ministério da Cultura e do Centro Cultural do Banco do Nordeste – garantindo assim, a idoneidade e imparcialidade do processo. Finalizada essa etapa, ficou estabelecido um prazo de oito dias para o comunicado aos proponentes.

A trajetória profissional dos integrantes da comissão, deixa claro, que são profissionais aptos a realizar o processo de avaliação dos projetos. Somando à  etapa, como uma peça a mais na elucidação das ideias dos projetos de audiovisual. A Comissão Julgadora não possuía caráter eliminatório e estava composta por: Composta por Francisco Colombo, Maranhão, cineasta e avaliador do Centro Cultural do Banco do Nordeste, Walter Chou, Sergipe, também avaliador do CCBN e Minc, Fernando Weller documentarista e parecerista do audiovisual em diversas bancas examinadoras no país e Carlos Macedo, coordenador das Artes Visuais da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, José Rodrigues Neto da coordenadoria do Patrimônio Artístico Histórico Cultural, da Secult.

A documentação exigida nos editais é necessária. É uma etapa  burocrática sim, mas que, salvaguarda os direitos de todos os participantes. A elaboração de qualquer Edital, conta também, com a elaboração do setor jurídico, sendo assim, respaldado por leis. Quando um subitem do Edital deixa claro que é necessário anexar o curriculum de pessoa jurídica, justifica-se a exigência de análise da trajetória da produtora. O acesso e divulgação, de qualquer concurso público, é assegurado pelos certames da lei.

Assessoria de Comunicação
Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – Secult

Fonte: http://www.secult.ce.gov.br/noticias/secult-esclarece