Dorsal Atlântica: entrega dos produtos (2)

ENTREGA DOS PRODUTOS E PRAZOS

Fizemos o possível para manter a entrega dos produtos até no máximo o mês de outubro, mas devido a vários atrasos por parte dos fornecedores, começaremos a enviar os produtos na primeira semana de dezembro de 2012.

Mantivemos a nossa palavra e cumprimos nossas obrigações no prazo estipulado: agosto, porém os atrasos e a falta de comunicação por parte dos fornecedores e empresas contratadas comprometeu a data da entrega. Houve atrasos em quase todas as áreas: das canecas; até dois meses de atraso por parte da prensadora de CDs (promessa de entrega em até um mês) e mais os 2 meses de atraso na confecção e entrega das camisetas (promessa de entrega em até um mês). Os adesivos e bottons nos foram entregues no prazo (esse foi o diferencial, além da extrema qualidade) e a editora da biografia Guerrilha! me prometeu que o livro nos será entregue na última semana de novembro. A diagramação do livro levou mais tempo do que eu esperava, o que foi bem compreensível pois levei um mês selecionando e escaneando as fotos para editá-las no photoshop, antes de serem entregues ao designer do livro.

Após os ensaios e gravação do disco, me dediquei à arte do CD, às camisetas e ao Guerrilha! E essa demanda literalmente consumiu dias e meses inteiros. O dinheiro investido na campanha, além de permitir que todos esses produtos fossem feitos, também cobriu, como não poderia deixar de ser, a minha dedicação integral ao projeto durante 6 meses.

O CD 2012 será entregue aos apoiadores um pouco antes do natal, talvez na primeira semana do mês de dezembro. Como temos feito, manteremos todos os apoiadores informados através deste site e da comunidade no facebook, Dorsal Die Hards. Esperamos a compreensão de todos

ESTÉTICA DO CD 2012

O disco não é old school mas também não é moderno, mas ousa.. enfim, 2012 é um disco completamente diferente dos padrões da Dorsal, é uma mescla de hardcore, heavy metal, melodia e old school, mas sempre com cara brasileira. Esse é o primeiro disco em que tocamos heavy metal mesmo. Mas o hardcore e punk permanecem presentes, não há death, grind ou crust.

O intuito deste trabalho não é ter a maior quantidade de riffs de metal, ou ser rápido e agressivo: 2012 é melódico, como eram as bandas de antigamente. Prestamos homenagens a mestres como Judas Priest, Manowar; C.O.C; Mercyful Fate; Baron Rojo; Motörhead; Discharge; Ozzy do Diary of a Madman; Iron Maiden; UFO; Angel Witch, etc. E acima de toda a superfície, mantemos a veia “dorsálica”.

As guitarras estão na praia do Kill em All do Metallica e do Bonded By Blood do Exodus, dois clássicos dos primórdios do thrash. A caixa da bateria foi afinada com som grave para soar antiga, tipo as que eram gravadas por volta de 1983. O bumbo tem kick mas é encorpado, grave. Nada de efeitos para ter uma bateria na cara ou moderna, o instrumento soa vintage e une os elementos. Deixei os pratos e contratempo vazando para dar aspecto de ao vivo. Para que o ouvinte escute a caixa das baterias em 99% das produções, corta-se o canal do contratempo, eu deixei aberto. Diferentemente do Metallica o novo CD da Dorsal tem baixo e foram gravados dois instrumentos diferentes, que escolhíamos durante a mixagem, atentando à soma dos fatores que alteravam o produto.

Eu cantei ao vivo de prima e não consertei, fiz as dobras de vozes na hora, algumas faixas tem 4 vozes dobradas em uníssono e outras abertas em harmonia. Minha interpretação vocal é como a minha voz soa hoje em dia. No Antes do Fim em 1986, eu tinha voz de menino e meu tom era outro. Durante a composição das faixas do 2012, preferi não copiar os meus próprios riffs dos discos anteriores. Preferi enveredar por novos desafios: criar uma nova sonoridade, soar mais melódico, com vozes mais cantadas e roucas, brasileiras, que até mesmo podem lembrar o nosso primeiro trabalho, Ultimatum.

Fonte: http://www.dorsalatlantica.com.br