HABEMUS DVD GUERRILHA! AVE DORSAL!

É chegada a hora!

Após o retorno da Dorsal Atlântica, uma dupla de fãs se reuniu para transformar os 30 anos de Dorsal em filme. O trabalho, iniciado em 2012, finalmente se conclui encerrando assim mais um ciclo na história do Metal Nacional.

A trajetória da banda é apresentada em DVD edição de luxo, com diversos extras que incluem, entre outros, videoclipes remasterizados e trechos de shows históricos dos anos 80 e 90.

Além do lançamento em DVD, os apoiadores do projeto no crowdfunding receberão em primeira mão o single promocional “O Retrato de Dorian Gray”, música inédita gravada na época de 2012, além de uma regravação da lendária “Guerrilha” e entrevista com Carlos Lopes.

Aguardem, o sonho que agora se tornou realidade em breve estará na mão de cada apoiador.

DVD Guerrilha

Equipe Guerrilha!

Conteúdo do DVD Guerrilha:

Disco 01:

Guerrilha – a Trajetória da Dorsal Atlântica

  •   Dir. Frederico Neto e Alexander Aguiar
  •   Documentário | 74’40 | cor | 16:9 | estéreo
  •   legendas em inglês e espanhol

Sinopse:

Pioneirismo, radicalismo e um legado de três décadas. A história do Heavy Metal brasileiro e de um de seus fundadores é passada a limpo em “Guerrilha – a trajetória da Dorsal Atlântica”. O filme documenta o retorno da formação clássica da banda, separada há mais de 20 anos, para abordar as polêmicas da música extrema nas décadas de 1980 e 1990, registradas em imagens raras e depoimentos exclusivos. O som e a fúria da Dorsal, espelho artístico de seu carismático líder, Carlos “Vândalo” Lopes, de maneira nunca antes vista.

Cenas Extras:

  • Colégio Acadêmico
  • Recuperando a Master do LP Antes do Fim
  • Saudosismo
  • O nome “Dividir & Conquistar

Entrevistas:

  • Carlos Lopes
  • Eduardo Bonadia
  • Gastão Moreira
  • João Gordo

Disco 02:

MMXII

  • Dir. Frederico Neto e Alexander Aguiar
  • Documentário | 18’33 | pb | 16:9 | estéreo
  • legendas em inglês e espanhol

Sinopse:

Após um hiato de 12 anos a lendária Dorsal Atlântica volta com a sua formação clássica para gravar um álbum de músicas inéditas. O disco foi custeado pelos fãs através de uma campanha de financiamento coletivo. Nos últimos dias de ensaios inicia-se a filmagem do documentário sobre a trajetória da banda. Conforme o trabalho se desenvolvia, as tensões do processo de gravação aumentam e a presença da equipe fica incômoda.

Clipes:

  •    My Generation
  •    Loyal Legion of The Admires
  •    Take Time
  •    Thy Kingdom Come
  •    All The Woman I’ve Loved
  •    Stalingrado

Shows:

Bar Opinião (Rio de Janeiro, 1985)

  • Princesa do Prazer
  • Ela Não Acaba Assim

Ginástico (Belo Horizonte, 1986)

  • Caçador da Noite
  • HTLV-III
  • Joseph Mengele
  • Depressão Suicida
  • Álcool

Aeroanta (São Paulo, 1995)

  • Success and Fall
  • Virtual Reality
  • Summary Condemnation
  • Tribute to Gauguin

Monsters of Rock (São Paulo, 1998)

  • Thy Kingdom Come
  • Guerrilha
  • Tortura

Livreto:

O livreto, de 48 páginas, é uma coletânea de textos a respeito do processo de realização do filme e o contexto da Dorsal Atlântica.

Sumário:

  1. Prefácio                                                        Leonardo Figueredo
  2. A Dorsal Atlântica na década de 1980     Leon Mansur
  3. A Dorsal Atlântica e os anos 1990           Frans Dourado
  4. A minha participação na Guerrilha        Lucas Marciano
  5. Sobre o fim de Guerrilha                         Maurício Ramos Marques
  6. A Hora e a Vez do Filme Guerrilha        Frederico Neto
  7. Deus e o Diabo na Terra de Vândalo     Alexander Aguiar
  8. Observando um processo                       Lucas Murari
  9. Entrevista com os Diretores                  Sandro Moser
  10. Apêndice

O Retrato de Dorian Gray

“A vaidade é o discurso do Rei. O Retrato de Dorian Gray.”

A letra se refere à obra do escritor inglês Oscar Wilde, que fala sobre as máscaras sociais e o lado obscuro do ser humano. A composição tanto homenageia o movimento NWOBHM, que no final da década de 1970 motivou a fundação da Dorsal Atlântica, como mostra o quanto a banda executa o estilo heavy metal clássico sem perder um pingo de sua personalidade.

“Guerrilha por liberdade, guerrilha em busca da verdade.”

Considerada o hino do metal brasileiro, Guerrilha, composta em 1985 e lançada no álbum Antes do Fim em 1986, é regravada pela mesma formação da banda, 3 décadas após o seu lançamento. As fitas dos ensaios da década de 80 foram utilizadas como parâmetro para manter o andamento original. A letra, sobre a guerrilha do Araguaia ocorrida durante a ditadura militar, parece mais atual do que nunca. As faixas gravadas em 2012 foram remixadas em 2015 no estúdio Superfuzz no Rio de Janeiro, com a formação Carlos Lopes (vocais e guitarras), Cláudio Lopes (baixo) e Hardcore (bateria).

Histórico:

A Dorsal Atlântica é uma das primeiras bandas de heavy metal brasileiro. Conhecida por ter unido o público de metal e o de hardcore/punk, o trio carioca fundado em 1981 é até hoje uma das bandas de metal brasileiras mais populares. Até 2000, a DORSAL gravou 7 álbuns de estúdio, o último na Inglaterra em 1996 com produção de Paul Johnston (Cathedral, Bolt Thrower, Benediction). A DORSAL se apresentou com várias bandas internacionais como Venom, Exciter, Nasty Savage, Testament, Motörhead, Cradle Of Filth e Anathema. No festival Monsters of Rock em 1998 em São Paulo, a DORSAL tocou com Manowar, Saxon, Glenn Hughes, Megadeth, Savatage, Slayer e Dream Theater.

Dorsal Atlântica é:

Carlos Lopes – Vocais e guitarras; Cláudio Lopes – Baixo; Hardcore – Bateria.

Informações em: www.dorsalatlantica.com.br.

O EP “O Retrato de Dorian Gray” é um lançamento promocional do filme “Guerrilha – a trajetória da Dorsal Atlântica”. Informações em: guerrilha.sangue.art.br.